fairy tales


Não sou nem quero ser uma cinderela ou uma barbie, vivo numa vida real não num conto de fadas onde existe um príncipe encantado, vivo num mundo onde existe sofrimento e onde as pessoas não ressuscitam com um beijo de um príncipe, onde existem pessoas que passam fome, frio, medo. Num mundo onde o bem nem sempre ganha e onde um final nem sempre é feliz, vivo num mundo onde os carros poluem e não existem tapetes voadores, onde os feijões são comida e não é por serem plantados que vamos encontrar uma galinha que põe ovos de ouro, pois no mundo em que eu vivo os ovos que as galinhas põem não são de ouro. Vivo num mundo onde não tenho fada madrinha, onde nenhuma varinha mágica me mete dentro de um vestido lindo até á meia noite, no meu mundo uma varinha mágica é algo que passa a sopa. No meu mundo não existem lobos que falam, nem porcos que constroem casas, mas há pessoas cruéis e pessoas boas, pessoas mais inteligentes e outras menos. Aqui não existem sereias essas personagens são chamadas de figuras míticas, não existem poções que nos fazem conseguir respirar dentro ou fora de água, aqui chama-se oxigénio e sim há máquinas que fazem pessoas sobreviver apenas porque essas máquinas contêm oxigénio e há pessoas que têm problemas e têm mais necessidade dele. No meu mundo não há potes de ouro no fim do arco-íris, cá existem bancos e lá sim está o "ouro". Não existem unicórnios, nem minotauros, também não existem fadas nem crianças que não crescem porque não querem ser adultos, sim há pessoas que a mentalidade não evoluí umas por doença outras por estupidez própria. No mundo a que vim parar os peixes também não falam e certamente não atravessam um oceano inteiro apenas para encontrar outro peixe. No meu mundo as pessoas não tiram tudo dos bolsos como se não tivessem fundo, aqui as pessoas não se transforma em monstros. elas próprias têm um monstro dentro de si mesmas. Neste mundo há um monte de livros, filmes, bonecos e até a própria imaginação que faz as crianças acreditarem num mundo paralelo a este onde existe de tudo menos guerra, e se existir guerra acaba sempre bem, acreditam num mundo onde o bem é sempre vencedor, onde há um final feliz em tudo. Aqui ainda muitas crianças acreditam no pai natal ou no coelho da páscoa, as crianças ainda sonham em ter um castelo e serem princesas, não há mal nenhum em sonharem, mas acordam de uma forma agressiva para a vida, perdem os sonhos, e ás vezes até mesmo a esperança, não tem mal nenhum ficar criança, ficar inocente, não tem mal nenhum sonhar, mas aqui, neste mundo as pessoas crescem deixam de sonhar, deixam de ter uma criança nelas, deitam os sonhos para o lixo, aqui quando se cresce sofre-se, aqui é preferível ver o mundo paralelo das crianças. Mas onde vivo neste mundo não existem sapos que se transformam em príncipes e também não existem dragões nem criaturas estranhas, criaturas estranhas existem: os próprios humanos, porque se não fossemos nós talvez tudo seria melhor, talvez existissem unicórnios, dragões, sereias, talvez fosse tudo perfeito, não existisse fome, nem frio, nem sequer ódio, talvez houvesse apenas um final feliz.

Sem comentários:

Enviar um comentário